PJM Curitiba acompanha a Operação Ágata

O promotor de Justiça Militar André Luiz de Sá Santos, da Procuradoria de Justiça Militar em Curitiba, acompanhou a Operação Ágata, realizada na faixa de fronteira oeste do estado do Paraná, para conhecer a atuação das tropas do Exército Brasileiro, em particular da 15ª Brigada de Infantaria Mecanizada, em Cascavel, responsável pela Coordenação, e da 15ª Companhia de Infantaria Motorizada, em Guaíra. A Operação Ágata tem por objetivo reprimir delitos transfronteiriços.

O convite para visitar a Operação foi formulado pelo comandante da 5ª Divisão de Exército, em Curitiba/PR), gen Div Carlos José Russo Assunção Penteado. Participaram ainda da comitiva o juiz federal da Justiça Militar Arizona D’Ávila Saporiti Araújo Júnior; o deputado federal Paulo Martins; o chefe do Estado-Maior da 5ª DE, cel Murga e o assessor de Relações Institucionais da 5ª DE, cel Ronaldo.

Durante a visita, a comitiva conheceu os centro de coordenação de operações de Cascavel e de Guaíra; fez sobrevoo sobre o Rio Paraná, onde as tropas do Exército desenvolviam patrulhamento aéreo, terrestre e fluvial; fez visita noturna à chalana, base fluvial situada no Rio Paraná, a bordo das lanchas Guardian, que realizam patrulhamento fluvial daquela área; participou de simulação de abordagem das lanchas de patrulha a embarcações de contrabandistas; esteve na Delegacia de Polícia Federal em Guaíra, para conhecimento das atividades realizadas no âmbito da Operação Hórus, de combate ao contrabando na região de fronteira, da qual também participa o Exército.

De acordo com balanço realizado pelo Exército, a Operação Ágata, iniciada em 20 de julho, já apreendeu valor estimado em R$ 2 milhões. As principais apreensões foram de medicamentos, eletrônicos, celulares e maconha.